Total de desempregados registados caiu 25% para 282.453

Dados do IEFP mostram que em junho havia menos 95.419 desempregados comparativamente a igual mês de 2021.

O número de desempregados registados nos Serviços de Emprego era, no final de junho, de 282.543 indivíduos, o que representa uma quebra homóloga de 25,3% e de 4,7% face ao mês anterior. Significa isto que havia no final do mês passado, menos 95.419 desempregados registados do que em igual mês de 2021 e menos 13.941 do que em maio.

Segundo a informação mensal do Mercado de Emprego do Instituto do Emprego e Formação Profissional, contribuíram para a diminuição do desemprego registado em junho, "na variação absoluta", os grupos dos que procuram novo emprego, cujo número total é de 255.138, menos 90.057 do que era há um ano; os desempregados com idade igual ou superior a 25 anos, que são agora 254.683, menos 82.231 do que no período homólogo, bem como os que estão registados no IEFP há menos de um ano, número que é agora de 144.892 pessoas, menos 54.755 do que em junho de 2021.

Refere ainda o IEFP que o desemprego diminuiu "em todas as regiões do país", com especial destaque para o Algarve, com uma redução homóloga de 51,2%, e a Região Autónoma da Madeira, que tem agora menos 42,8% de desempregados registados. Na comparação com o mês de maio, também todas as regiões têm menos desempregados inscritos, sendo que o Algarve é o que regista a maior quebra, de 18,7%.

Na análise por grupos profissionais, os trabalhadores não qualificados representam 26,1% dos desempregados registados, seguindo-se os trabalhados dos serviços pessoais, de proteção, segurança e vendedores, com 20,2%, o pessoal administrativo, com 11,9% e os especialistas das atividades intelectuais e científicas, que são 10,7% dos que não têm emprego.

Quanto à atividade económica, as variações mais significativas são de setores como o Alojamento, restauração e similares, com menos 40,5% de desempregados inscritos face ao período homólogo, a Indústria do couros e dos produtos de couro, com menos 39% de inscritos, e a Fabricação de veículos automóveis, componentes e outro equipamento de transporte, com menos 32,1% de desempregados.

Por satisfazer havia, no final de junho, 21.737 ofertas de emprego em todo o país, número inferior em 9,7% face ao período homólogo (menos 2.344 ofertas) e em 0,7% comparativamente ao mês anterior (menos 154 ofertas).

As ofertas de emprego recebidas ao longo do mês de junho totalizaram 11.825, número inferior em 26,9% às disponibilizadas em junho de 2021 e 22,3% às ofertas de maio. As Atividades imobiliárias, administrativas e dos serviços de apoio, o Alojamento, restauração e similares e o Comércio por grosso e a retalho são os setores que mais procuram trabalhadores.

Share this page Share on FacebookShare on TwitterShare on Linkedin