Analyses & Etudes

Tendências & Oportunidades - Intenção de compras de natal online em França

Segundo o Observatoire des Usages Internet de Médiamétrie, o número de compradores online em França no 3º trimestre de 2020 atingiu os 41 milhões de consumidores registando um aumento de cerca de 510.000 pessoas num período de um ano (FEVAD, 2020).

A par com esta tendência, o índice de satisfação com as compras online nunca foi tão alto em França: 98 por cento dos consumidores dizem-se satisfeitos com as suas compras online nos últimos 12 meses (FEVAD, 2020).

Entre 28 de outubro e 4 de novembro de 2020 (a 29 de outubro França iniciou o segundo período de confinamento), a empresa francesa de análise de dados Médiamétrie e a Fédération du e-commerce et de la vente à distance realizaram um inquérito junto de consumidores franceses que já realizaram compras na Internet sobre as suas intenções de compras de Natal online. O resultado do inquérito concluiu que nove em cada 10 consumidores franceses declaram que vão comprar prendas de natal online (89 por cento, mais dois pontos percentuais que em 2019) (FEVAD, 2020).

Se a pandemia COVID-19 contribuiu para o aumento das intenções de compras de Natal online, contribuiu também para a intenção de dispensar menos dinheiro que em anos anteriores: 25 por cento dos ciber-consumidores franceses tencionam gastar menos dinheiro em compras de Natal do que em 2019 (vs 20 por cento em 2019). As principais razões evocadas foram o baixo poder de compra, incerteza do futuro da sua estabilidade financeira e incerteza sobre a visita de família e amigos durante o Natal e Ano Novo (FEVAD, 2020).

Foi possível identificar três claras tendências neste inquérito: (1) predominância da notoriedade das lojas físicas: 8 em cada 10 consumidores tencionam comprar presentes online, nomeadamente produtos culturais e jogos, em websites de marcas com comércio físico; (2) preocupações éticas e ambientais: 37 por cento dos inquiridos pretendem comprar presentes associados à economia circular (nos consumidores com menos de 24 anos, este valor sobe para os 50 por cento); (3) “Made in France”: três quartos dos consumidores pretendem comprar em sites de marcas francesas e um consumidor francês em cada dois está pronto a pagar mais caro por produtos “Made in France” (FEVAD, 2020).

Estas tendências constituem uma oportunidade para todas as empresas portuguesas que vendam online em França, nomeadamente empresas com produtos e serviços ecologicamente responsáveis.

Mais informações sobre este tema podem ser obtidas junto da Delegação da AICEP em Paris.


Fonte: AICEP PortugalGlobal

PortugalNews 

 

PLUS D'ACTUALITÉS

Partager cette page Partager sur FacebookPartager sur TwitterPartager sur Linkedin